Fitoterapia na Longevidade Saudável

Fitoterapia na Longevidade Saudável

 13/08/2020

Fitoterapia na Longevidade Saudável 

(Saúde através do uso correto das plantas medicinais)

Como definimos saúde hoje? É isso que está demonstrado na foto abaixo? O que temos feito pela nossa saúde para não precisarmos deste monte de substâncias químicas? Como estabelecer um plano de longevidade saudável com você mesmo?

O que se faz hoje é tratar as doenças com muitos fármacos, no entanto será que realmente se alcança uma saúde de qualidade ou só nos mantemos vivos e dependentes dos medicamentos?

A fitoterapia é uma ciência milenar que usa as plantas medicinais como opção terapêutica e podem oferecer uma alternativa bem interessante, promovendo a cura das doenças com qualidade e prevenindo o surgimento de distúrbios funcionais no organismo.

 As plantas medicinais produzem uma série de substancias para a sua própria subsistência e adaptação ao meio ambiente, e que quando extraídas e administradas ao nosso corpo podem PROMOVER MUDANÇAS NO ORGANISMO HUMANO restabelecendo a viabilidade funcional de nossas células e promovendo uma Longevidade Saudável.

Podemos ter uma planta medicinal com a múltiplas atividades?

Podemos prevenir e controlar varias doenças com estas plantas para reduzirmos a quantidade de cápsulas e comprimidos diariamente?

Sim podemos!

Vamos pegar como exemplo a planta medicinal Maytenus ilicifolia, que apresenta atividade anti-ulcerogênica cientificamente comprovada. O paciente que tem um problema no estomago pode ter uma simples irritação gástrica até uma úlcera decorrente de todos os medicamentos que ele toma, da alimentação... Está irritação pode ser causada desde o fármaco até aquele lindo corante que deixa o comprimido com um vermelho reluzente. Então junto com tudo isso ele precisa de um medicamento anti-ulcerogênico que deve ser tomado todos os dias porque os medicamentos dele são de uso contínuo. Geralmente este tipo de medicamento é usado para um tratamento que leva de 7 a 14 dia. Hoje isto não esta sendo levado em consideração e os pacientes estão fazendo uso contínuo de forma indiscriminada, irracional e fazem inclusive a automedicação, sem que sejam avaliados os riscos que ele traz a saúde.

A Maytenus ilicifolia, além da atividade anti-ulcerogênica ainda traz outros benefícios como:

  • Atividade antioxidante, importante na prevenção de doenças.
  • Diurética – auxilia na eliminação de toxinas e a na redução da pressão arterial.
  • Antitumoral – prevenção do câncer.
  • Analgésica – alivio da dor

Com esta situação surgem muitas perguntas:

Pode ser associado planta medicinal ou fitoterápicos com tantos medicamentos químicos?

Pode, desde você tenha um ótimo conhecimento sobre as plantas e os fitoterápicos. Existem muitos fatores que precisam ser levados em consideração no momento da prescrição e para isso a importância sobre o conhecimento das plantas, seus efeitos, dose e potencial de interação com fármacos. Atualmente já existem muitos estudos científicos comprovando os benefícios das associações ou da própria substituição do medicamento químico.

Uma outra situação importante: o seu paciente faz uso de muitos medicamentos e toma aquele chazinho da plantinha que ele tem no quintal de casa. Ele não relata durante a consulta e você também não pergunta. Então surge mais uma pergunta: O uso deste chá está contribuindo para o tratamento ou está diminuindo a efetividade dos fármacos e as doses precisam ser aumentadas?

Isto precisa ser avaliado com cuidado. Se estiver reduzindo o efeito do medicamento, consequentemente a dose precisará ser aumentada ou o medicamento trocado. O aumento da dose do medicamento reflete diretamente nos efeitos colaterais e de toxidade. É importante lembrar como os medicamentos são metabolizados e eliminados do organismo humano. A metabolização geralmente ocorre no fígado e a excreção através dos rins e intestino, logo estes órgãos ficam sobrecarregados.

Você questiona o seu paciente e ele diz que está tomando chá de espinheira santa e que não precisou mais do medicamento químico. Ele tem uma planta no quintal de casa. O que fazer? Mais uma vez é necessário conhecimento. A planta que ele está usando é realmente a Maytenus ilicifolia que tem estudos científicos de eficácia e toxidade, ou é simplesmente uma planta parecida?

Popularmente existem muitas confusões entre as plantas medicinais em função dos nomes populares e da regionalidade. A diferença entre a espinheira santa verdadeira e a falsa é muito pequena. Basta saber algumas características da folha, flor ou fruto. Você como prescritor, se souber a diferença entre estas duas plantas poderá orienta-lo sem problemas e manter a saúde do paciente com O USO DESTA PLANTA.

O que nós queremos para a nossa saúde e para a saúde dos nossos pacientes?

Para os que ainda tem saúde, usar a plantas medicinais para a prevenção assim como os alimentos, atividade física, meditação .... Manter-se saudável por mais tempo. Hipócrates, nascido na Grécia em 460 a.C., considerado o pai da medicina nos deixou um conhecimento muito importante: "Que teu remédio seja teu alimento, e que teu alimento seja seu remédio"

O interesse pelas plantas medicinais e fitoterápicos tem crescido substancialmente nos últimos anos devido a busca pela saúde, tornando-se necessário o aperfeiçoamento de todos profissionais prescritores. Fazer um bom curso de especialização nesta área com certeza transformará a sua vida e de muitos pacientes. Encontre o melhor Curso de Especialização em Fitoterapia Clínica do Brasil e ai sim você vai poder contribuir para a sua saúde  do seu paciente e prescrever com segurança.